Não se esqueça de ir ao oftalmologista.

VISÃO-LASER_template-banner-site_768x512

Procurar o oftalmologista apenas quando há algum sintoma é um erro muito comum e perigoso.
Quando a pessoa deixa de ir ao oftalmologista e está desenvolvendo alguma doença silenciosa, perde a chance de receber o diagnóstico precoce e, consequentemente, a possibilidade de um tratamento mais tranquilo.

Existem doenças que são descobertas em estágio avançado e muitas vezes são irreversíveis.
As doenças diagnosticadas com antecedência podem ser tratadas facilmente, sem causar grandes danos à visão.

Cuide de sua visão e não deixe para depois a consulta com o oftalmologista.

Visão e o uso do computador

VISÃO-LASER_banner-site_768x512-03

A vida anda tão agitada que nem a saúde dos olhos escapa da era da informação:
a Síndrome Visual do Computador (SVC) é uma doença que se nota pelo cansaço visual
provocado pelo uso prolongado do computador.

Os principais sintomas são:

• Olho seco
• Sensação de peso nas pálpebras
• Olhos vermelhos
• Dificuldade em conseguir foco
• Coceira
• Enxaqueca
• Visão dupla
• Sensibilidade à luz
• Dor e ardor ocular

Qual é a causa da SVC?
Os olhos precisam relaxar quando se trabalha durante muitas horas seguidas.
As pessoas geralmente não percebem, mas os detalhes da tela exigem grande esforço
visual para que as imagens fiquem bem definidas, o que causa tensão dos músculos intraoculares,
também muito exigidos para manter o foco a distâncias curtas. Além disso, com o uso prolongado do
computador, as pessoas piscam menos e a lágrima evapora mais rápido, o que causa sensação de olho ressecado.

O computador prejudica a visão?
Não há nenhuma evidência que indique que o computador cause problemas de visão.
Segundo pesquisas, os monitores não emitem radiação considerada prejudicial.

Dicas para utilizar o computador sem causar problemas de visão:

• Posicione o monitor a uma distância de 40 a 70 centímetros dos olhos
• O topo do monitor deve estar à altura dos olhos e ligeiramente inclinado para cima
• Se você usa documentos junto ao computador, procure mantê-los perto da tela
• Minimize os reflexos na tela alterando a posição do monitor ou das luzes
• Tome cuidado com luzes incidindo diretamente sobre os olhos, como luminárias de mesa
• Descanse a vista: a cada duas horas de trabalho, pare por cinco minutos, fechando os
olhos por alguns instantes ou desviando o olhar para um objeto a mais de dois metros de distância

Daltonismo

VISÃO-LASER_banner-site_768x512-02

Você sabe como uma pessoa daltônica vê o mundo?

O que é?
Também conhecido como discromatopsia, o Daltonismo é a alteração na percepção de cores.
A nossa visão de cores é dada pelas células da retina chamadas cones. Existem basicamente três tipos de células cones, cada uma responsável pela visão de uma das três cores básicas: o vermelho, o verde e o azul. As outras cores são, na verdade, a combinação dessas três cores.

A forma que realmente é chamada de Daltonismo é a deficiência para o verde e vermelho. Trata-se de uma doença genética, ou seja, existe uma alteração nos cromossomos. Geralmente a alteração genética está no cromossomo X, portanto, é mais comum nos homens.

Diagnóstico
Existem dois tipos de exames para fazer o diagnóstico:

Teste de Ishihara: exame mais utilizado por ser de fácil manuseio, consiste em placas com números formados por pontos de cores diferentes. A pessoa com Daltonismo ou não enxerga nenhum número ou enxerga um número diferente.

Anomaloscópio de Nagel: o teste realizado por esse aparelho consiste em dividir o campo de visão do paciente em duas partes. Sendo que uma delas é iluminada por uma luz monocromática amarela, enquanto a outra é iluminada por diversas luzes monocromáticas verdes e vermelhas. Solicita-se ao paciente que iguale as tonalidades dos dois campos visuais alterando a razão entre a intensidade das luzes vermelha e verde e modificando a intensidade da luz amarela. Através da comparação entre a tonalidade real e a visualizada pelo paciente é possível determinar qual o tipo e o grau do daltonismo.

Tratamento
Até o momento não existe um tratamento definitivo e específico. É possível usar algumas lentes de óculos com filtros de cor, conhecidas como lentes com filtros seletivos para uso medicinal, as quais ajudam a diminuir o desconforto e melhoram o contraste.

Por que choramos ao cortar cebola?

VISÃO-LASER_banner-site_768x512-01


Uma cebola picadinha para dar aquele toque especial ao tempero do banquete? São poucas as pessoas que não gostam,. Agora a parte ruim fica para o encarregado de cortar as cebolas. São lágrimas de ardência até o último pedacinho ser cortado, mas você já parou para pensar o porquê isso acontece?

A resposta está nas células da cebola. Quando cortadas elas liberam uma série de compostos e entre eles há um constituído por enxofre. Em contato com o ar, essa substância se transforma em um gás que irrita os olhos.

Por que choramos? A lágrima funciona como um mecanismo de defesa dos olhos. Ao perceber a irritação, as glândulas lacrimais são estimuladas para lubrificar o globo ocular e proteger os olhos.

Que tal alguns  truques para cortar cebola sem chorar?  Corte a cebola dentro de um recipiente com água e utilize um ventilador no sentido contrário do rosto para evitar os gases emitidos pela cebola.

Ceratocone – Sintomas, causas, diagnóstico e tratamento

Ceratocone (do Grego: kerato– chifre, córnea; e konos cone), é uma doença não-inflamatória progressiva do olho na qual mudanças estruturais na córnea (que alteram sua biomecânica – resistência e elasticidade) a tornam mais fina e modificam sua curvatura normal (praticamente esférica) para um formato mais cônico.

Em outras palavras, a ceratocone é uma doença ocular que provoca a mudança de forma da córnea. É uma desordem ocular não-inflamatória e auto-limitada caracterizada pelo afinamento progressivo da parte central da córnea.

Necessita ser acompanhada com muita atenção, pois é uma doença progressiva. Geralmente se desenvolve na puberdade (em média, por volta dos 16 anos de idade) e é percebida com o aumento do astigmatismo, mas também pode ser de causa genética.

Raramente desenvolve-se após os 30 anos de idade. Afeta homens e mulheres em igual proporção e na grande maioria dos casos afeta os dois olhos.

Na ceratocone, a córnea assume uma forma de cone, por isso, o nome, o que acarreta na percepção de imagens distorcidas. O principal sintoma dessa doença é a diminuição da visão.

Causas

As causas para a ceratocone podem estar relacionadas a mudanças físicas, bioquímicas e moleculares no tecido corneano. Porém, nenhuma teoria deu conta de elucidar os achados clínicos e as associações oculares e não-oculares relacionadas ao ceratocone.

O diagnóstico definitivo é feito com base nas características clínicas e com exames objetivos como a topografia corneana. A evolução da ceratocone é quase sempre progressiva com aumento do astigmatismo, mas pode estacionar em determinados casos.

Sintomas

– Visão borrada de perto e de longe
– Dores de cabeça
– Coceira nos olhos
– Fotofobia

Ao sentir qualquer sintoma, é fundamental consultar-se com seu médico o quanto antes para obter uma diagnóstico preciso.

Quando o diagnóstico foi ceratocone, há diversas opções de tratamento, todos com o objetivo de melhorar e proporcionar uma boa visão ao paciente. Mais uma vez, o diagnóstico tem um papel importantíssimo, visto que a ceratocone é uma doença progressiva.

Tratamentos

Nos casos leves, o uso de óculos pode ser suficiente e nos moderados é indicado o uso de lentes de contato para corrigir o problema.

A indicação varia ainda de acordo com a severidade da doença. Na sua fase inicial, a ceratocone apresenta-se como um astigmatismo irregular levando o paciente a trocar o grau de astigmatismo com muita frequência.

– Óculos: o uso de óculos é indicado no estágio principal da doença.

– Lentes de contato: quando o uso de óculos não for suficiente para oferecer uma boa visão, as lentes de contato são indicadas. As lentes usadas são rígidas.

– Cirurgia: em casos mais graves, a cirurgia é indicada e consiste no implante de anéis que remodelam a curvatura da córnea, para que ela mantenha uma forma mais natural e arredondada.

Em muitos casos, realiza-se a ceratoplastia (modificação do formato da córnea) e, em casos mais avançados, são indicados o transplante de córnea.

Procure consultar seu oftalmologista com frequência. Marque uma consulta online através do nosso site.

Importante: Todas as informações contidas nesta página têm caráter informativo e educacional. Nenhuma providência deverá ser tomada sem consultar o seu oftalmologista, pois somente ele está habilitado para praticar o ato médico, conforme recomendação do Conselho Federal de Medicina.